Trabalhadores da Saúde, que continuam na Assembleia, realizam plenária nesta sexta-feira

06/06/2013

Em greve

Crédito: Sindsaúde

Os servidores estaduais da Saúde realizam plenária nesta sexta-feira (7/6) à tarde, na Assembleia Legislativa. Eles estão em greve desde o dia 1º de maio e ocupam as dependências do plenário Juscelino Kubitschek da Assembleia Legislativa de São Paulo, como forma de protesto.

Na quarta-feira eles tiveram reunidos com o secretário estadual de Gestão Pública de São Paulo, Davi Zaia, que não apresentou contraproposta ao pedido de reajuste salarial de 32,2%, referente a perdas acumuladas nos últimos cinco anos.

Os grevistas aguardam a promessa de reunião entre a Casa Civil e as secretarias de Gestão Pública e Saúde para discutir a reivindicação.

O secretário Zaia apresentou estudo sobre o impacto do aumento do auxílio-alimentação de R$ 8 para R$ 22, conforme a reivindicação dos trabalhadores, e prometeu uma resposta a esse item da pauta até esta sexta-feira (7/6).

“Vamos continuar em greve até que eles apresentem as duas propostas”, avisa Gervásio Foganholi, presidente do sindicato da categoria (SindSaúde-SP).

Apoio da Bancada

Os trabalhadores da Saúde têm o apoio da Bancada dos deputados do PT em sua pauta de reivindicações. O líder petista, Luiz Claudio Marcolino ressalta que “a falta de contraposta aos trabalhadores demonstra o desrespeito do governo Alckmin para com os servidores estaduais e com a saúde da população paulista.”

Aproximadamente 80 grevistas ocupam desde a noite de terça-feira (4/6) o auditório Juscelino Kubitschek da Assembleia Legislativa.

Reivindicações

Entre as reivindicações dos trabalhadores, estão a reposição salarial de 32,2%, vale-refeição de R$ 26,22,prêmio de incentivo igualitário e transparência no uso da verba do Fundo Estadual de Saúde (Fundes).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *