UMM completa 20 anos de atuação pela moradia social

19/12/2007 17:05:00

Direito à moradia

Crédito:

 

Um dos principais movimentos de origem social no país, a União dos Movimentos de Moradia (UMM) comemorou no dia 13/12, os 20 anos de sua existência em ato solene na Assembléia Legislativa de São Paulo. Ao lado dos  coordenadores do movimento José de Abraão e Maria de Fátima dos Santos; e de Raquel Rolnik, professora da Faculdade de Arquitetura da PUC de Campinas; participaram da homenagem o líder da Bancada do PT, Simão Pedro, e os deputados  petistas Mário Reali, Maria Lúcia Prandi, Adriano Diogo e Cido Sério.

Falando para dezenas de pessoas, representantes de entidades e autoridades, o deputado Simão Pedro destacou que “durante estes 20 anos, a União pôde comemorar algumas conquistas, mas sabe que há muito por fazer. Neste momento, por exemplo, a UMM acompanha o projeto que cria o Sistema Estadual de Habitação, com o Conselho e o Fundo”. Segundo o deputado, “o Fundo Estadual de Habitação é uma batalha de todos nós e faremos o possível para que seja votado ainda em dezembro”. Simão Pedro falou ainda de como a casa própria promove a auto-estima das famílias e reclamou do déficit de moradias populares em São Paulo: “existem 700 mil famílias sem teto no nosso Estado”.

O deputado Mário Reali destacou a importância da entidade que ao longo da sua trajetória sempre se manteve fiel a defesa pela moradia digna para as famílias de baixa renda no Estado de São Paulo e em várias partes do Brasil. Ele destacou que os desafios para os próximos meses aos movimentos sociais demandarão mais capacidade de mobilização e de articulação institucional, já que os investimentos do governo Lula, por meio do PAC, começam a chegar aos municípios e também diretamente às entidades que lutam pela moradia de baixa renda no país. “ Os movimentos terão que demonstrar cada vez mais que estão preparados para atender o seu público, seja por meio de requisitos técnicos, seja pela necessidade de se avançar nos meandros jurídicos e burocráticos que envolvem a questão fundiária e urbana nas grandes regiões metropolitanas”, disse.

A coordenadora da União, Maria de Fátima dos Santos, citou algumas conquistas do movimento, entre elas a criação do Ministério das Cidades, e de como o item moradia vem ganhando importância cada vez maior em nosso país: “O direito à moradia foi consagrado no artigo 6º da Constituição brasileira, fruto de muita luta dos movimentos organizados desde a década de 80”.

Todos os oradores foram unânimes em valorizar a mobilização popular nos resultados obtidos e deflagrar uma grande ação que viabilize definitivamente os imóveis do governo federal e aponte propostas concretas para superação dos conflitos fundiários.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.