Universidades públicas discutem maior aporte de recursos e evasão de professores

19/04/2016

Sem recursos

Universidades públicas discutem maior aporte de recursos e evasão de professores

Por iniciativa do deputado Carlos Neder, foi lançando hoje 19/4, na Assembleia Legislativa, a Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Públicas no Estado de São Paulo, que abriu seus trabalhos com a discussão do financiamento público e a evasão de profissionais.

Reitores, integrantes da comunidade acadêmica, funcionários e sindicalistas participaram do debate proposto por Neder para definir o papel da Frente e as expectativas em relação a sua atuação.
O reitor da Universidade de São Paulo Marco Antônio Zago enfatizou a preocupação com o financiamento das universidades públicas estaduais e apontou a redução dos recursos nos últimos três anos. De acordo com Zago, a verba repassada pelo Estado não atendem as necessidades de custeio e investimentos e informou que as instituições têm sobrevivido com o caixa reserva constituído nos tempos de bonança e aquecimento da economia.

O Estado de São Paulo repassa a alíquota de 9,57% do ICMS para as universidades estaduais, percentual apontado como insuficiente pelas entidades sindicais como o Fórum das Seis (que agrega por representantes dos funcionários, estudantes e professores de USP e Adusp- que reúne docentes da universidade paulista), ambas defendem maior aporte do financiamento público.
Na avaliação do líder da Bancada deputado José Zico Prado é fundamental o apoio da Assembleia às universidades públicas e para o desenvolvimento do Estado, elas precisam ter papel de destaque.

Outro problema mencionado reiteradamente pelos participantes é a questão do teto salarial, que tem desmotivado os profissionais e tem provocado evasão de professores. “A Assembleia Legislativa pode contribuir para que a universidade possa ter um teto salarial mais adequado, proporcionando a sobrevivência da qualidade do ensino”, destacou Zago.
Somada ao limite do teto salarial há a defasagem salarial dos docentes em relação aos que atuam nas faculdades públicas federais e estaduais de outros Estados. “O financiamento da educação tem que ser aprofundado,” ressaltou Neder.

Já o reitor da UNESP – Universidade estadual Paulista, Julio Cesar Durigan, disse que Assembleia pode “ajudar na intermediação do trabalho que é realizado nessas universidades” e também auxiliar na busca de financiamentos e recursos.

No olhar da reitora da Universidade Federal de São Paulo, Soraya Soubhi Smaili é necessário a união das instituições para discutir a questão do financiamento. “Não podemos permitir nenhum retrocesso”, afirmou.

A reitora citou as condições e a demanda que o hospital da universidade atende, em vista da diminuição no orçamento para mantê-lo e defendeu que a Frente Parlamentar deve focar também na situação dos hospitais universitários a elas vinculados.

Os debates foram acompanhados também pelos deputados João Paulo Rillo e Marcos Martins, que integram a Bancada petista.

Participaram também o vice-reitor da Universidade Estadual de Campinas, Álvaro Penteado Crosta; o reitor da Universidade Federal do ABC, Klaus Capelle; e Adilson de Oliveira, vice reitor da Universidade Federal de São Carlos. (RM)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.