Vale do Paraíba é a região mais violenta de São Paulo

31/08/2012

Escalada da violência

A cidade de Taubaté é a recordista na Região do Vale do Paraíba. As ocorrências já ultrapassaram os índices de criminalidade da capital fluminense.

A título de comparação, a cidade do Rio de Janeiro registrou 10,35 assassinatos por 100 mil habitantes nos seis primeiros meses deste ano. Taubaté teve 11,87 homicídios neste mesmo período. A OMS (Organização Mundial da Saúde) considera “zonas epidêmicas” os municípios que registram taxas superiores a dez assassinatos por 100 mil habitantes.

A capital fluminense, com uma população superior a seis milhões de habitantes, teve 655 assassinatos entre janeiro e junho, segundo dados oficiais do ISP (Instituto de Segurança Pública) do Rio. Em Taubaté, com cerca de 280 mil habitantes, foram 33 vítimas de homicídio, segundo dados oficiais da SSP (Secretaria da Segurança Pública) do Estado.

No Rio, o número de homicídios registrados em julho foi o menor em 21 anos. Taubaté, por outro lado, ocupa a liderança do ranking da criminalidade no Vale do Paraíba, a região mais violenta no interior paulista. Enquanto São José dos Campos, registrou 4,6 homicídios por 100 mil habitantes no primeiro semestre, Taubaté alcançou 11,87 homicídios neste mesmo período.

O Vale do Paraíba é a região mais violenta de São Paulo. Foram 235 assassinatos no primeiro semestre de 2012. O número representa uma alta de 9% em relação ao mesmo período do ano passado (quando 214 pessoas foram mortas) e manteve a região à frente das demais do interior. Campinas e Piracicaba seguem atrás com 190 e 172 vítimas, respectivamente.

Ribeirão lidera alta de homicídios

A Região de Ribeirão Preto foi a que mais registrou aumento de homicídios no Estado de São Paulo. Entre janeiro e julho deste ano aconteceram 158 assassinatos nas 93 cidades do Departamento de Polícia Judiciária do Interior, contra 116 no mesmo período do ano passado-, ou seja, uma alta de 36%.

A região de Ribeirão Preto também teve o maior crescimento de roubos de veículos entre os 11 departamentos de polícia do Estado.
Segundo o delegado seccional de Ribeirão Preto, Adolfo Domingos da Silva Júnior, afirma que o ápice dos homicídios aconteceu nos primeiros três meses do ano e que o índice vem se estabilizando desde então. “São crimes passionais, em razão de desavenças por tráfico de drogas, desinteligências, casos difíceis de fazer uma prevenção.” Ele destaca, no entanto, que dois latrocínios na região foram solucionados.

Na Região do ABC população faz vigilância solidária

A cidade de Santo André, o roubo de carros é o crime que mais preocupa a população. Os moradores reclamam que não têm tranqüilidade nem mesmo em casa.

Além do reforço na segurança, moradores organizaram uma “vigilância solidária”. Um morador fica com o celular dos vizinhos e permanece atento à movimentação nas ruas para acionar a polícia caso esteja fora da normalidade.

Recentemente reportagem do Jornal Bom Dia São Paulo, da TV Globo mostrou como vizinhos impediram um assalto a uma escola de inglês durante a madrugada. Um rapaz acordou com os latidos do cachorro. Ele se levantou, saiu do quarto e conseguiu ver o assaltante. Rapidamente, ele chamou a polícia. O criminoso fugiu sem roubar nada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *