Vamos intensificar o debate sobre Saneamento Básico, afirma deputada

19/06/2013

Nesta quinta-feira

Fórum de Debates será nesta quinta-feira (20 de Junho), a partir das 15 horas, no Plenário José Bonifácio, na Assembleia Legislativa

“Precisamos agir, e eu quero convidar as lideranças municipais e também os representantes do Governo do Estado para uma reflexão sobre o Saneamento Básico, com foco no Abastecimento. Porque essa história de falta de água, eu conheço com propriedade, desde os tempos da minha infância e juventude nas atividades das comunidades religiosas de base por conta da luta pela terra e pela agricultura familiar”.

O alerta é da deputada Ana Perugini, da Bancada do Partido dos Trabalhadores em São Paulo, ao falar sobre o evento, em fase de planejamento, denominado Fórum de Debates, a ser realizado nesta quinta-feira (20 de Junho), a partir das 15 horas, no Plenário José Bonifácio, na Assembleia Legislativa. Ana Perugini é coordenadora da Frente Parlamentar de Acompanhamento das Ações da Sabesp em São Paulo.

Muitas das Metas do Milênio, como a diminuição da mortalidade infantil e materna, e a proteção ambiental, estão ligadas diretamente à necessidade de melhoria do saneamento básico. As estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) são de que 1,5 milhão de crianças, com idade até 5 anos, morram todo ano no planeta por doenças diarreicas, derivadas da falta de saneamento básico adequado.

Em 2010 a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou o direito humano à água e ao saneamento. E São Paulo, por suas características privilegiadas, já deveria ter saneamento básico 100%, incluindo coleta e tratamento integral dos esgotos. Entretanto, o índice paulista de tratamento de esgoto é da ordem de 50%, muito abaixo do padrão internacional de saúde. Esses são alguns dos motivos que justificam o debate no Parlamento Paulista, avalia a deputada Ana Perugini, ao acrescentar: “Queremos que o assunto esteja cada vez mais no centro da agenda pública, rumo a políticas que garantam uma vida mais justa e digna para as próximas gerações”.

Dois tópicos vão nortear as discussões na Assembleia: o relacionamento Sabesp e os municípios (hoje são 363 atendidos pela concessionária), e o Sistema Cantareira e sua influência na qualidade de vida de São Paulo e do Brasil. A outorga do Sistema Cantareira, que retira 31 mil litros de água por segundo das bacias dos rios Piracicaba,Capivari e Jundiaí (PCJ) para abastecimento da Grande SP, vence em 2014. Por outro lado, a Região Administrativa de Campinas, que congrega as bacias do PCJ e do Cantareira, também reivindica maior disponibilidade de água para o seu desenvolvimento estratégico. fonte: Ass. Imprensa – dep. Ana Perugini

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *