REGIÃO DE BAURU COBRA ABERTURA DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS
REGIÃO DE BAURU COBRA ABERTURA DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS

A deputada Márcia Lia e o deputado Enio Tatto participaram de audiência pública nesta sexta-feira, 10/9, na Câmara Municipal Bauru, para ouvir as reivindicações dos municípios da região em relação ao Orçamento do Estado de 2022. Vários prefeitos e vereadores de cidades que integram a região administrativa de Bauru participaram do encontro. A principal cobrança feita pelas lideranças políticas da região foi a abertura definitiva do Hospital das Clínicas.

A deputada Márcia Lia disse que o orçamento tem sido debatido em todas as regiões do Estado para ser aperfeiçoado e que espera que tenhamos uma lei orçamentária dialogada para o exercício de 2022.

Enio Tatto destacou que esta foi uma das audiências com maior participação de prefeitos. O deputado petista também destacou que a maior parte das cobranças apresentadas na audiência vem sendo feitas desde 2006, quando foi realizada a primeira audiência do orçamento.

“O que nos faz perguntar: por que tem tantos problemas que poderiam ser resolvidos, mas não são¿ Há 30 anos, o mesmo partido governa o Estado de São Paulo, que tem o segundo maior orçamento do país.” Quando vemos que há unanimidade em Bauru sobre a importância da abertura do Hospital das Clínicas, não dá para entender porque esse hospital ainda não foi entregue à população”, afirmou Tatto.

Segundo o deputado petista, as reclamações em relação á precariedade dos serviços públicos de saúde são feitas em todos os cantos do Estado. Ele lembrou que, recentemente, o governo Doria elevou a taxa de contribuição dos servidores para o Iamspe. Com isso, o governo arrecadou uma dinheirama, e mesmo assim foi feito um corte gigantesco de recursos para as santas casas.

“O problema é a má gestão. Chega. Não dá mais para esse partido governar o Estado. Precisamos de uma outra experiência. Uma nova gestão. Isso é democrático. Estamos vivendo sob os governos Bolsodoria. Olha a situação que estamos vivendo de tragédia e de vergonha.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *