Governo e ViaMobilidade faltam à reunião da Comissão de Transportes
Governo e ViaMobilidade faltam à reunião da Comissão de Transportes

Comissão de Transportes e Comunicações da Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou requerimento que convidava secretários do governo Tarcísio e concessionária ViaMobilidade para prestar esclarecimentos sobre os contratos de concessão das Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda, de trens metropolitanos, campeãs de falhas desde o início da concessão.

A ausência dos secretários de Transportes Metropolitanos, Marco Antonio Assalve, e de Parcerias e Investimentos, Rafael Benini, e de um representante da ViaMobilidade na reunião da Comissão de Transportes e Comunicações (CTC) desta quarta-feira, 31/5, foi criticada pelo autor do requerimento que os convidou, deputado Donato, e pelo deputado Enio Tatto, que lamentou que o governo atual continue a dispensar pouca consideração à comissão.

Enio classificou a ausência como um desrespeito ao Poder Legislativo e avisou aos membros da CTC que esse comportamento dos secretários de Estado diante de convites feitos pelas comissões é uma constante. Enio defendeu que o governo e a ViaMobilidade sejam convocados, e não mais convidados, e registrou a presença de representantes dos movimentos de transporte da zona sul da capital, que deixaram seus compromissos e levaram mais uma hora para chegar até o Ibirapuera, onde se localiza a Assembleia Legislativa.

Donato lembrou que o requerimento para a discussão dos graves problemas que envolvem a operação da ViaMobilidade, na concessão da Linha 5-Lilás de metrô e das Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda de trens metropolitanos de São Paulo, foi sua primeira iniciativa na CTC. Ele registrou que atendeu o pedido do líder do governo e de deputados da base de Tarcísio Freitas e o requerimento de convocação dos secretários foi transformado em convite. Na sequência, ainda foi procurado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado André do Prado (PL), que transmitia o interesse dos secretários Marco Assalve e Rafael Benini de realizar uma reunião prévia. “Expliquei ao presidente que converso sobre o tema a qualquer momento, mas que isso não significava abrir mão do convite.”

Para Donato, o governo deveria ter atuado no sentido de contribuir para que a ViaMobilidade comparecesse perante a CTC para explicar, por exemplo, por que até agora não entregou os 13 trens que deveria ter colocado à disposição dos usuários de transporte público.

Apenas o Ministério Público do Estado de São Paulo aceitou o convite. O promotor Luiz Ambra Neto, da Justiça do consumidor, participou da reunião e confirmou a existência de processos que investigam lesão causada ao usuário do transporte público e prejuízos aos cofres públicos em razão de execução inadequada do contrato de concessão. Ele informou que, embora a Via Mobilidade venha buscando demonstrar que tomará as providências para corrigir falhas, ainda não há uma situação em que se possa garantir que serão solucionados os problemas.

Na mesma reunião, requerimento de autoria da deputada Ediane Maria (Psol) para convocar os mesmos secretários e o secretário-chefe da Casa Civil, Arthur Lima, para esclarecimentos sobre as recorrentes falhas e mal funcionamento das linhas 8 e 9 operadas pela ViaMobilidade, recebeu pedido de vista do deputado Paulo Mansur (PL) e, portanto, não foi votado.

Foto: Alesp.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *