EMPRESÁRIO FALA SOBRE A VENDA MILIONÁRIA DE RESPIRADORES PARA O GOVERNO DE SP
EMPRESÁRIO FALA SOBRE A VENDA MILIONÁRIA DE RESPIRADORES PARA O GOVERNO DE SP

O empresário Basile George Pantazis prestou depoimento à CPI das Quarteirizações nesta quarta-feira, 28/10. Ele falou sobre o seu papel de intermediação na transação de compra de respiradores da China pelo governo do Estado de São Paulo.

Em março deste ano, o governo paulista contratou com e empresa Hichens Harrison & Co a compra de 3 mil respiradores. A empresa britânica foi a intermediária com a fabricante da China nessa transação milionária. Porém, apenas 30% dos equipamentos previstos chegaram ao Brasil. Em junho, o governo de São Paulo cancelou o contrato, que passou a ser alvo de investigação do Ministério Público e do Tribunal de Contas do Estado por suspeita de sobre-preço.

Basile teve uma participação na transação pouco convencional nesse tipo de contratação. O empresário disse que tem experiência em vendas de produtos para governos e no comércio com a China, porém sua inserção nos negócios com respiradores surgiu de conversas com parceiros de Miami que estavam levando os equipamentos chineses para os Estados Unidos no auge da pandemia. Com as informações, tomou a iniciativa de conectar-se com os fornecedores para oferecer o produto no Brasil.

Na qualidade de novo representante da Hichens Harrison Capital Partners no Brasil, Basile procurou o Ministério da Saúde para apresentar proposta comercial, na qual o fabricante chinês exigia o pagamento antecipado de 50% do valor das compras. A oferta foi recusada no âmbito federal, mas, segundo ele, teria atraído o interesse de algumas secretarias de estado.

Em São Paulo, os contatos iniciaram com Wilson Mello, presidente da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade – Invest SP, e seguiram com Nelson Batea, secretário-executivo de Governo, antes de o negócio ser selado com a Secretaria da Saúde.

O contrato inicial previa a aquisição de 3 mil respiradores das fabricantes Comen e Beijing Eternity, no valor total de US$ 100 milhões (equivalente a R$ 550 milhões), com pagamento antecipado de US$ 44 milhões (R$ 242 milhões).

Segundo Basile Pantazis, os fabricantes chineses não cumpriram a entrega da maior parte dos equipamentos para poder atender a demanda de outros países. Apenas 1.280 respiradores desembarcaram em São Paulo. O pagamento efetuado pelo governo foi de U$ 46 milhões.

O deputado José Américo expressou sua estranheza diante da relação informal mantida entre o empresário e os agentes públicos do Estado. O parlamentar disse que é preciso acreditar muito na palavra das pessoas para entender os termos em que foi celebrada a compra desses respiradores. Ele solicitou a documentação completa da operação comercial.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *