Cena Política, quarta-Feira, 4 de dezembro de 2019
Cena Política, quarta-Feira, 4 de dezembro de 2019

DEPUTADOS SE AJOELHAM DIANTE DO AUTORITARISMO DE DORIA

A PEC 18/2019, que trata da Reforma da Previdência do Estado, começou a ser discutida pelo plenário da Alesp em sessão extraordinária convocada nesta quarta-feira, 4/12, pelo presidente da Casa. O líder do PT, deputado Teonilio Barba, denunciou as manobras autoritárias para acelerar a votação da proposta de João Doria. Já foram convocadas sessões extraordinárias para os próximos dias, inclusive na parte da manhã. “Hoje, o Regimento Interno da Assembleia é o que vai na cabeça do presidente da Assembleia, Cauê Macris. Os deputados perderam sua autonomia e independência. Aceitam o que é imposto pelo presidente como carneirinhos. Só há uma maneira de abrir negociação com o governo: os parlamentares não darem quorum até que se abra o diálogo. Precisamos de 40 votos contrários para impedir o avanço da PEC”, afirmou Barba.

 

TÁTICA MALDOSA PARA DIVIDIR

A deputada Professora Bebel criticou aqueles parlamentares que acreditam que conseguirão negociar individualmente suas “emendinhas” ao projeto de Reforma da Previdência. “Nenhum deputado é ingênuo de achar que suas emendas serão incorporadas. Sabem que quando chegar ao Palácio, elas serão vetadas pelo governador. Só há uma maneira de alterar a proposta: as mudanças precisam ser feitas no corpo da lei”, advertiu a parlamentar. Bebel também denunciou a tática maldosa do governo de atender alguns interesses de policiais civis e agentes penitenciários e deixar de lado servidores da educação e de outras áreas.

 

PRESIDENTE DA ALESP AMEAÇA EXPULSAR O POVO À FORÇA

Diante da ameaça do presidente da Assembleia de acionar a polícia para evacuar as galerias e impedir a manifestação de servidores públicos contra a reforma da Previdência, o deputado Enio Tatto reagiu. “Pois, o senhor vai ter de retirar à força também este deputado e mais os outros nove da bancada do PT”, afirmou. Ele questionou a razão de o presidente não suspender a sessão por conveniência da ordem, como vinha fazendo nas últimas semanas. “Só porque agora está sendo votada a reforma previdenciária, e o senhor quer que isso aconteça rapidamente, o critério mudou”, disse Tatto.

 

MAMÃE FALEI XINGA SERVIDORES E CAUÊ MACRIS PERMITE TUMULTO

O deputado Arthur do Val (sem partido), durante a discussão da PEC da Reforma da Previdência, subiu à tribuna para provocar servidores que assistiam à sessão nas galerias. O parlamentar xingou o público de “vagabundo”, ameaçou pessoas e agrediu também deputados petistas com acusações e palavras ofensivas. Do Val já havia anunciado, antes de sua fala, sua intenção de subir à tribuna para provocar. O tumulto foi armado e não foi contido pelo presidente da casa, Cauê Macris. Os deputados petistas reagiram às agressões e a sessão foi suspensa por conveniência da ordem. A conveniência maior do episódio foi para o governo Doria, a quem o deputado e yuotuber Mamãe Falei prestou grande serviço.

 

VALENTE COM O POVO, MANSO COM AGRESSORES DO POVO

Depois do incidente, o líder do PT, Teonilio Barba, voltou à tribuna e apontou a responsabilidade de Cauê Macris. “O presidente da Assembleia é muito valente com o povo da galeria, mas permite que o deputado Arthur do Val agrida o público usando palavras ofensivas e xingamentos. São dois pesos e duas medidas. O presidente não foi presidente. Agora, ele é só presidente da PEC 18/19.” Barba também mostrou seu estranhamento com vários deputados que se dizem contrários à reforma, mas não sobem à tribuna para dizer que são contra. Da mesma forma que aqueles favoráveis à proposta de Doria não têm coragem de defendê-la em público. “Não podemos permitir que Doria, Cauê Macris e Carlão Pignatari dominem a Assembleia”, disse Barba.

 

GOVERNISTAS REJEITAM LEITURA
A Comissão de Finanças e Orçamento começou a discutir nesta quarta-feira, 4/12, as contas do governador referentes ao exercício de 2018. A líder do PSDB, deputada Carla Morando, leu seu parecer favorável à aprovação. Apesar de várias tentativas da bancada governista de atropelar o regimento da Alesp para acelerar a votação do relatório de Morando, o deputado Paulo Fiorilo conseguiu manter seu direito de ler na íntegra as 400 páginas do seu voto em separado, contrário à aprovação das contas. Depois de acordo entre os membros da comissão, a sessão foi encerrada. e foram consideras como lidas cem páginas do parecer de Fiorilo. A leitura de Fiorilo prossegue na próxima sessão, convocada para sexta-feira, 6/12

 

IDEOLOGIA DE GÊNERO NÃO EXISTE
O deputado Emidio de Souza esteve hoje na Comissão de Constituição e Justiça no debate sobre o PL 245/2019 que “Proíbe a ideologia de gênero nas escolas da rede pública e privada do Estado de SP”.
Já que “ideologia de gênero” sequer existe, Emídio apresentou as inconstitucionalidades do projeto aos membros da Comissão. Os parlamentares presentes não conseguem explicar a questão. Assista trecho da explanação de Emídio na transmissão ao vivo abaixo.

#AoVivoO deputado Emidio de Souza está na Comissão de Constituição e Justiça no debate sobre o PL 245/2019 que "Proíbe a ideologia de gênero nas escolas da rede pública e privada do Estado de SP". Já que "ideologia de gênero" sequer existe, Emídio apresenta as inconstitucionalidades do projeto aos membros da Comissão.Os parlamentares presentes não conseguem explicar a questão.

Publicado por PT Alesp em Quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

 

AUDIÊNCIA PÚBLICA “CHEGA DE PEDÁGIOS”

O deputado Luiz Fernando Teixeira, membro da Comissão de Transportes e Comunicações, convidou deputados e o público em geral a participar de uma audiência pública na Baixada Santista intitulada “Chega de Pedágios”. O evento é uma iniciativa da Frente Parlamentar contra a Instalação de Novas Praças de Pedágio na Rodovia SP-55 – Padre Manoel da Nóbrega/Cônego Domênico Rangoni (Rio/Santos). O encontro será no dia 13 de dezembro, às 18 horas, no Sindicato dos Urbanitários de Santos e Região (Sintius), rua São Paulo, 24, Vila Belmiro, Santos (SP).

 

ARTISTAS REAGEM A CORTES NA CULTURA

Artistas, produtores culturais e entidades de diversos setores da cultura participaram nesta quarta-feira, 4/12, de audiência pública para debater os cortes do governo João Doria na área da cultura. A deputada Beth Sahão coordenou os trabalhos e lembrou que o orçamento do próximo ano prevê corte superior a 50% no Proac editais, principal programa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. O ator Sergio Mamberti, a atriz Marina Person, Raquel Valadares, Dorberto Carvalho, da Cooperativa Paulista de Teatro, Daniel Santiago e Thiago Vasconcelos também compuseram mesa de debates.

 

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *