Nota de repúdio a prisão e criminalização dos movimentos populares de moradia
Nota de repúdio a prisão e criminalização dos movimentos populares de moradia

A violenta ação da Polícia Civil de São Paulo, comandada pelo governador João Doria contra lideranças populares de movimentos de moradia, nesta segunda-feira, 24/06, abre mais um capítulo de ataque à Democracia com opressão e criminalização das organizações populares que atuam em defesa dos interesses da classe trabalhadora.

Sustentados pela decisão do juiz Marco Antônio Martins Vargas, a operação do DEIC executada pelo delegado André Vinicius Figueiredo com base em denúncias anônimas e indícios incompatíveis com as atividades das pessoas presas.

Segundo o delegado o processo teve origem no inquérito que apurou as causas do incêndio e desmoronamento do edifício Wilton Paes de Almeida, que desabou no Largo do Paissandu, em maio de 2018.

Nós deputados e deputadas estaduais do Partido dos Trabalhadores, repudiamos as prisões arbitrária e nos colocamos à disposição solidariamente a cada um dos militantes que foram presos pelo simples fato de lutar e fazer valer o direito básico e constitucional de acesso à moradia digna.

Teonilio Lula Barba
Líder da Bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *