7° Congresso Estadual do PT Lula Livre
7° Congresso Estadual do PT Lula Livre

Resistência e denúncia da farsa que prendeu Lula, rompeu a democracia e os direitos dos trabalhadores, deram o tom à abertura do 7° Congresso Estadual do PT neste sábado, 19/10, no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Com a participação de 800 delegad@s vindos de diversas regiões do Estado, o 7° Congresso do PT paulista também contou com a presença de lideranças do PCdoB, PSOL e PCO,  da Central dos Movimentos Populares e da Central Única dos Trabalhadores, que destacaram a importância estratégica de fortalecer as relações e o diálogo do PT com a população nas vilas, nos bairros, nas cidades.

As semelhanças dos governos Bolsonaro e João Doria, no desmonte do Estado, foram apontadas pelo líder dos deputados estaduais petistas, Teonilio Barba. “Aqui em São Paulo, a gestão do governador é focada em cinco ações de ataque ao patrimônio do Estado: concessão, fusão, extinção, desestatização e privatização”. Entre parques, fundações, autarquias, institutos de pesquisas, cerca de 200 equipamentos públicos já foram entregues ao setor privado.

O QUE O BRASIL ESPERA DO PT

“Nossa conversa é com o povo e com os partidos,  movimentos e lideranças que propõem retomar o crescimento com inclusão social, na democracia plena. (…) O que o Brasil espera do PT é que estejamos na linha de frente contra o desmonte da educação, o fim da previdência pública, os novos ataques aos direitos trabalhistas. Nosso papel é resistir aos leilões criminosos do petróleo e ao projeto que tira da Petrobras as áreas do pré-sal. É defender nossa Amazônia, os indígenas, a reforma agrária, os sem teto; contra a censura e a favor da democracia. É na luta pelas causas mais justas que vamos construir a unidade da oposição com o povo.” A carta de Luiz Inácio Lula da Silva ao congresso estadual do PT foi lida pela companheira Mônica Valente.

Fernando Haddad falou do fracasso dos governos liberais nos países vizinhos, como Argentina e Chile e sobre como políticas neoliberais como as praticadas no Brasil enfraquecem e corroem as bases dos estados nacionais. “Moro é um miliciano togado. Como numa democracia um juiz sem ser provocado pode invadir a casa de uma pessoa?”, perguntou Haddad, ao tratar da suspeição do ex- juiz e pedir a anulação do processo que condenou injustamente o ex- presidente Lula.

A resistência do PT, a necessidade de equilibrar as forças políticas do país e fortalecer a agenda de lutas da classe trabalhadora foram destaque nas manifestações do prefeito de Araraquara, Edinho Silva.

No Estado de São Paulo, o PT está organizado em 400 cidades e para Luiz Marinho, presidente do Diretório Estadual, é preciso enfrentar a elite reacionária constituída pelo Bolsodoria e resgatar os direitos da classe trabalhadora. “Precisamos intensificar a organização do partido para 2022, queremos Lula inocente e Lula presidente”, enfatizou Marinho.

Veja as imagens das deputadas Beth Sahão, Professora Bebel e Márcia Lia, e os deputados Teonilio Barba, Enio Tatto,  Emidio de Souza, José Américo, Paulo Fiorilo, Luiz Fernando Teixeira e o Jorge do Carmo, na abertura do 7° Congresso Estadual do PT.

   

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *