Ampliação de pedágios é sanha arrecadatória de Doria
Ampliação de pedágios é sanha arrecadatória de Doria

Do plenário da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, a líder do PT, deputada Professora Bebel, criticou a sanha arrecadatória do governo João Doria que, “em momento de crise econômica e social, quer aumentar enormemente o número de pedágios nas rodovias paulistas penalizando ainda mais os trabalhadores”.

A elevação do número de praças de pedágios foi assunto mais abordado pelos deputados estaduais na sessão ordinária desta terça-feira, 26/10. Os petistas criticaram a política do governo estadual que executa obras de  duplicação e melhorias de vias, com recursos públicos, e depois entrega as estradas para o setor privado explorar e cobrar pedágios.

O prejuízo dessa política para os trabalhadores foi exemplificado na situação da região de Piracicaba. De acordo com a líder Bebel, o governo quer colocar pedágios nas rodovias que ligam Piracicaba a São Pedro e Charqueada, dois municípios com características de cidade-dormitório, em que as estradas são utilizadas diariamente pelos moradores para ir e voltar, ao trabalho e à escola.

“Águas de São Pedro, por exemplo, que é uma cidade turística, vai sofrer o impacto do preço do pedágio nas diárias, no custo de vida da cidade”, acrescentou a deputada.

Doria quer instalar novas praças de pedágio também na região do Alto Tietê. Os impactos dessa política na região foram apontados pelo deputado Dr. Jorge do Carmo.

Atualmente há 193 praças de pedágio do Estado de São Pauo, sendo 192 de concessionárias e uma operada diretamente pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER). Entre 2020 e 2021 foram implantadas 16 novas praças de pedágio no interior do Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.