Audiência cobra aprovação de Política Estadual de Redução de Agrotóxicos
Audiência cobra aprovação de Política Estadual de Redução de Agrotóxicos

Desde 2019, segue barrado na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa, o Projeto de Lei 1.227/2019, que institui a Política Estadual de Redução de Agrotóxicos (Pera). Nesta quarta-feira, 11/5, às 10h, os autores da proposta realizam uma audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo, para sensibilizar a sociedade e o conjunto dos deputados estaduais para a necessidade de aprovação da Pera.

A propositura nasceu do movimento organizado pela sociedade civil e envolveu 16 deputados estaduais e quatro partidos, PT, Rede, PSOL e PCdoB, que também organizam a audiência desta quarta.

Participam do debate que abre a audiência integrantes do Fórum Paulista de Soberania, Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável, produtores rurais e lideranças do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, integrantes do sistema agroecológico de produção da agricultura familiar, e os/as especialistas:
Profa. Dra. Yamila Golfard, integrante da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, pesquisadora da Unesp e vice-presidente da Associação Brasileira da Reforma Agrária (Abra);
Dr. Marcelo Carneiro Novaes, defensor público do Estado de São Paulo e coordenador do Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos, e
Dr. Claudimar Amaro, médico da Unidade Básica de Saúde Adão do Carmo, da prefeitura municipal de Ribeirão Preto, e membro do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) e do Sindicato dos Médicos do Estado de São Paulo (Simesp).

Audiência pública pela aprovação da Polícia Estadual de Redução de Agrotóxicos (Pera)
Quarta-feira, 11/5, às 11h, no auditório Teotônio Vilela – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

Alerta à sociedade

A última edição do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (Para), feito pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em 2021, detectou alimentos vendidos nos supermercados brasileiros contendo resíduos de até 21 agrotóxicos diferentes em um único produto.

E o Estado de São Paulo, responsável pela produção de 358,4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, 53,2% da produção nacional, aparece como o maior consumidor de agrotóxicos no país.

O contato com os agroquímicos – inclusive os de menor nível de toxicidade – pode causar desde intoxicação aguda, com fraqueza, vômitos, tontura e convulsões, até intoxicação crônica, com alterações cromossomiais, alergias, doença de Parkinson, má formação fetal e câncer, tudo em curto, médio ou longo prazo.

Este é um dos fatores que mostram a urgência de a Assembleia Legislativa de São Paulo discutir e votar a Política Estadual de Redução de Agrotóxicos.

SP: 110 mil toneladas de agrotóxicos anualmente

Apesar do intenso uso de agrotóxico no cultivo agrícola, São Paulo conta com apenas 80 fiscais para dar conta das atividades relacionadas ao comércio e ao uso desse tipo de produto, de acordo com Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento.

De acordo com o Atlas Geográfico do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexão com a União Europeia, de autoria da professora Larissa Bombardi, são utilizados por ano, em média, 110 mil toneladas de agrotóxicos em São Paulo. O Atlas também indica que 70% da área do Estado recebe o veneno por pulverização aérea nas lavouras, oferecendo riscos de contaminação da água.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.