BETH SAHÃO: HOSPITAL SOROCABANA PARA TRATAMENTO DO COVID-19

A deputada Beth Sahão encaminhou ao governador do Estado, nesta segunda, 30/3, uma indicação no sentido de que o Hospital Sorocaba, no bairro paulistano da Lapa, seja incluído nos planos de contingência da pandemia de Coronavírus, e reaberto imediatamente.

No pedido, a parlamentar explica que o prédio do Hospital Sorocaba possui sete pavimentos mas só o térreo e o mezanino estão ocupados hoje. Lá funcionam uma unidade de Assistência Médica Ambulatorial Ambulatório (AMA), um Centro de Referência em Reabilitação (CER) e um hospital-dia da Rede Hora Certa. “Sua estrutura demanda, essencialmente, reformas de suas instalações (nova distribuição interna, elétrica, hidráulica, ventilação etc.) para voltar a atender pelo SUS”, diz o documento.

Se espaços não hospitalares, como o Anhembi e o Pacaembu, foram incluídos no plano de contingência, por que não investir na reabertura de um hospital com 256 leitos, pergunta a deputada.

HISTÓRICO

A Associação Beneficente dos Hospitais Sorocabanas foi responsável pela administração do hospital de 1955 a 2010, quando encerrou as atividades do Sorocabana por causa de irregularidades com o uso de dinheiro público transferido pelo SUS. Desde 2012, o terreno e o hospital estão cedidos pelo governo do Estado, por um período de 20 anos, para a prefeitura de São Paulo.

Em 2009, um ano antes de encerrar os serviços, o Sorocabana contava com 217 leitos hospitalares e fazia cerca de 500 partos por mês. De acordo com o Comitê de Defesa do Hospital Sorocabana, o hospital era considerado uma referência na zona oeste, atendendo à população da Lapa e bairros vizinhos, como Vila Romana, Pompeia, Alto da Lapa, Lapa de Baixo, Vila Anastácio, São Domingos, Jaguaré e Pirituba, entre outros. Com o fechamento em 2010, estima-se que cerca de 300 mil habitantes da região estejam sem atendimento de um hospital público.

O início da gestão João Doria/Bruno Covas na prefeitura de São Paulo, em 2017, também não colaborou para uma solução que permitisse a reabertura do hospital. Pelo contrário. As ideias de privatização do então prefeito Doria trouxeram ainda mais insegurança para a população que ainda deseja ver o Sorocabana aberto e público.

Para Beth Sahão, além da inclusão no plano de contingência da pandemia do novo Coronavírus, a reabertura do Sorocabana deve ser encarada como parte dos investimentos necessários para o fortalecimento da saúde pública no Estado e a reabertura definitiva, a médio prazo, do Hospital Sorocabana, como equipamento de saúde necessário e 100% SUS.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *