E A DERSA E O RODOANEL NORTE
E A DERSA E O RODOANEL NORTE

Como ficaram as irregularidades na Dersa, depois da extinção da empresa, indagou o deputado José Américo José Américo do engenheiro Milton Persoli, ex-presidente da empresa paulista de Desenvolvimento Rodoviário e agora indicado pelo governador João Doria para o cargo de diretor-geral da Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transportes de São Paulo).
Milton Persoli foi sabatinado nesta segunda-feira, 22/6, pela Comissão de Transportes e Comunicação da Alesp, que aprovou parecer da deputada Carla Morando (PSDB) aprovando o nome do engenheiro para a direção da Artesp.
O futuro diretor-geral da empresa que regula e fiscaliza 8,9 mil concessões das rodovias estaduais afirmou que precisa se adaptar da área urbana para a rodoviária. Ele começou sua carreira na Companhia de Engenharia de Tráfego da cidade de São Paulo, passou por várias secretarias municipais e comandou cinco diferentes subprefeituras da capital
José Américo quis saber, ainda, em que situação o engenheiro deixou o inconcluso Rodoanel Norte, segundo ele a mais controvertida e cara obra viária recente. Sobre a Artesp, o deputado mencionou o Relatório do Ministério Público estadual, de 2017, que encontrou problemas de manutenção em todas as 13 rodovias cedidas à iniciativa privada no Estado de São Paulo, e o silêncio do Conselho da Artesp, que há seis meses não convoca nem se comunica com os dois deputados que representam a Assembleia Legislativa naquele órgão de fiscalização

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *