EM COLETIVA DE IMPRENSA, DEPUTADA TRANS ANUNCIA REPRESENTAÇÃO CONTRA DEPUTADO TRANSFÓBICO

Na manhã desta quinta (4), um dia após ser alvo de discursos transfóbicos do deputado Douglas Garcia (PSL), a deputada transexual Érica Malunguinho (PSOL) concedeu entrevista coletiva à imprensa. Érica anunciou que o partido protocolou, junto com PT, PCdoB e Rede, uma representação contra o parlamentar no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. O PSOL busca, ainda, a cassação do mandato do deputado por seu comportamento.

O deputado do partido de Bolsonaro disse que “arrancaria no tapa” uma pessoa trans do banheiro se sua mãe ou irmã estivessem lá. O ataque se deu durante as discussões de um projeto de lei preconceituoso (PL 346/19 do deputado Altair Morais – PRB), que limita a participação de transexuais em competições esportivas.

 

TRANSCIDADANIA ESTADUAL

Érica Malunguinho acenou que quer apostar na construção de um projeto estadual para a inclusão de transexuais, aos moldes do Transcidadania, criado na gestão de Fernando Haddad.

 

CONTRA A HOMOFOBIA, DO PARLAMENTO PARA A SOCIEDADE, DA SOCIEDADE PARA O MUNDO

Malunguinho deixou claro que não se trata de uma punição pessoal, dirigida ao parlamentar Douglas, mas sim ao combate de um preconceito, discurso de ódio, que diariamente tira vidas de pessoas trans, incitando a violência e colocando o país no topo do ranking dos países que mais batam essas pessoas no mundo.

Os deputados Barba, líder da bancada do PT, Professora Bebel e José Américo estiveram presentes na coletiva e reforçaram que o Partido dos Trabalhadores está junto com a parlamentar na luta contra a transfobia e outras manifestações de preconceito.

Deputada Érica Malunguinho e deputado Teonílio barba, líder da bancada do PT

“Érica sofre preconceito em dobro por ser negra e trans. Rejeitamos a postura do deputado Douglas Garcia (PSL) que prega a violência. Se aqui nessa Casa, que é o 2º maior Parlamento do país, o parlamentar tem essa postura, imagina lá fora!”, manifestou Teonílio Barba, líder da bancada do PT na Alesp.

A deputada Professora Bebel lembrou que não é a primeira vez que Douglas tem um comportamento ofensivo com os demais deputados e deputadas, de diferentes formas e sobre variados temas.

“No dia 21 de março, na Alesp, Douglas Garcia (PSL) chamou os professores de vagabundos por protestarem contra a Reforma da Previdência nas ruas. Indignada, fui ao microfone do plenário. A agressão de ontem com a Érica foi novamente lamentável, não podemos naturalizar nenhum comportamento violento desse parlamentar. Caso contrário, o que será de nós, mulheres, bissexuais, trans, seremos tiradas a tapa de tudo?”, indignou-se a deputada Professora Bebel.

Complementando os colegas e reforçando o apoio à deputada, o deputado José Américo observou que a vinda de Érica Malunguinho, quando chegou à Assembleia nesta legislatura, melhorou substancialmente a representatividade do parlamento.

 

 

 

 

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *