Fiorilo questiona secretaria por mudança no nome do Assentamento Che Guevara
Fiorilo questiona secretaria por mudança no nome do Assentamento Che Guevara

O deputado Paulo Fiorilo, líder da Federação PT/PCdoB/PV, na Assembleia Legislativa de São Paulo, protocolou requerimento de informação questionando a Secretaria de Agricultura e Abastecimento sobre a Portaria 25/2024, publicada pelo Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), que alterou o nome do Assentamento Che Guevara para Assentamento Irmã Dulce.

O Assentamento Che Guevara, localizado no município de Mirante do Paranapanema, no interior do Estado de São Paulo, nasceu com a ocupação de terra improdutiva, pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em 1991, e foi homologado como assentamento em 1994, completando, assim, 30 anos de luta histórica pelo direito à terra e à produção de alimentos.

No Requerimento de Informação 108/2024, dirigido ao secretário Guilherme Piai Filizzola, Paulo Fiorilo pergunta se a publicação da referida portaria decorreu de provocação externa ou foi determinada, de forma unilateral, pelo diretor-executivo do Itesp, e se houve qualquer consulta pública aos beneficiários do Assentamento Che Guevara sobre a mudança. As famílias de trabalhadores e trabalhadoras que compõem o assentamento afirmam que não foram consultadas sobre a mudança de denominação.

“A questão aqui não é a nomenclatura em si, mas a necessidade de mudança, com que parâmetros e objetivos essa decisão foi definida e se os assentados que estão na área há 23 anos foram consultados. Se não houve a consulta, teremos aqui uma decisão ideológica e os atos públicos devem atender ao interesse público”, afirma o deputado.

Edição: Marisilda Silva
Foto: Diógenes Rabello

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *