Frente Parlamentar discute potencialidades do Vale do Ribeira
Frente Parlamentar discute potencialidades do Vale do Ribeira

Os desafios para o desenvolvimento socioeconômico da região do Vale do Ribeira foi o foco da segunda reunião da Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento Econômico Regional, coordenada pelo líder da Federação PT/PCdoB/PV, deputado Paulo Fiorilo.

O líder destacou a importância e a necessidade de recursos e investimentos na região para que haja expansão da produção agroecológica, logística de transportes para escoar essa produção e garantia de conectividade da população local.

O potencial agroecológico da região foi demonstrado durante a reunião pelo engenheiro ambiental Vinícius Rainer Boniolo, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), campus Lagoa do Sino, em Buri. Ele falou da produção de  alimentos de qualidade, como maracujá, milho, abóbora e café, e do plantio florestal de espécies como louro pardo, jequitibá rosa, guanandi, ipê felpudo e palmeira juçara. Esta última, ressaltou, já alcançou o mercado externo.

A organização dos produtores rurais em cooperativas é uma experiência bem-sucedida conforme relato de Claudemir Marques, integrante da Associação de Assentados de Sete Barras, que ressaltou o trabalho de homens e mulheres do campo integrado por 13 cooperativas na produção da agricultura familiar, no plantio de hortaliças e bananas e outros produtos que integram a alimentação escolar.

Entre os municípios de Apiaí e Iporanga, está localizado o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (Petar). O empresário Haroldo Adam trouxe informações sobre o potencial turístico da região e cobrou mais investimentos e incentivos para explorar a diversidade do turismo ecológico. Para o empresário é preciso mais produtos, aos moldes do programa Receber Bem, que qualificou pessoas para receber e atender os turistas e ressaltou o impacto positivo desse trabalho.

Terras devolutas

De acordo com o diretor adjunto de Recursos Fundiários da Fundação Itesp, Thiago Gobbo, a gestão de Tarcísio de Freitas (Republicanos) tem priorizado legalizar áreas ocupadas com o pagamento de 10% das terras devolutas. No entendimento do governador este mecanismo pode trazer segurança jurídica para os posseiros da região do Vale do Ribeira e do Pontal do Paranapanema. Segundo Thiago, outro setor que também tem sido atendido pelo governo no processo de legalização fundiária são os povos nativos e quilombolas.

Também participaram dos debates prefeitos, secretários municipais, vereadores e empreendedores locais que cobraram do secretário de Turismo e Viagens, Roberto de Lucena, mais investimentos na expansão e manutenção das rodovias que podem impulsionar a produção local e o turismo.

Distrito turístico ecológico

Presente na reunião, Roberto de Lucena destacou que o Vale do Ribeira tem 12 cidades que podem ser classificadas como de Municípios de Interesse Turístico (MITs), além de nove estâncias turísticas.  De acordo com o secretário, o governo do Estado pretende lançar em breve o projeto de distrito turístico ecológico na região, que deve fortalecer os programas de desenvolvimento econômico e social nesses municípios.

“Quando temos uma área de mais de 90% de preservação ambiental, resta-nos a possibilidade do investimento estatal em estruturar essa região exatamente para a indústria do turismo. Nós temos hoje, no Vale, um cardápio muito diversificado e um potencial extraordinário”, ressaltou

Cultura local

Lembrando que o Vale do Ribeira abriga 23% dos remanescentes da mata Atlântica de todo o Estado de São Paulo, Raul Calazans, ex-vereador, professor e liderança na cidade de Registro, destacou a importância da região na preservação do meio ambiente e enalteceu seu papel na história do nosso país, na exploração do ouro, no período do Brasil colônia e as possibilidades do turismo cultural. “A região do Vale do Ribeira precisa de atenção e investimentos para avançar em seus potenciais e apoio logístico para conectar com diversas cidades como São Paulo, Santos, Sorocaba e Curitiba”, apontou.

O deputado Ricardo Madalena (PL), vice-coordenador da Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento Econômico Regional, ressaltou o papel da frente para garantir melhor interlocução com os governos federal e estadual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *