A verdade sobre o governo Doria

Por Rosário Mendez, Fotos: Katia Passos

OS IMPACTOS DO GOVERNO DORIA NA VIDA DOS TRABALHADORES
O governador João Doria assumiu o comando de São Paulo com R$ 33 bilhões, mas sua primeira ação administrativa foi cortar cerca de R$ 3,2 bilhões de investimentos diretos e indiretos, principalmente nas áreas sociais, que tem relação direta no dia- a -dia do povo paulista.
Este corte de recursos financeiros e os impactos na vida dos trabalhadores foram apresentados pelo líder da bancada deputado Teonílio Barba aos trabalhadores do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, na manha desta sexta- feira 12/4.

Barba apontou que o governo Doria não tem se empenhado para combate à crise econômica que atinge o país e reflete nos 2,8 milhões de desempregados em São Paulo.

O deputado informou que no 1º bimestre de 2019, o gasto com o Programa Emergencial de Auxilio-Desemprego, conhecido como Frente de Trabalho, foi 96% menor do que o gasto no mesmo período de 2018. Já no Programa Estadual de Qualificação Profissional, 99% a menos que o mesmo período do ano passado.

O deputado ressaltou que o primeiro projeto que o governador enviou para a Assembleia Legislativa prevê a venda de seis empresas estatais, sendo que duas delas geram recursos financeiros para o caixa do Estado e elertou, “nós conhecemos bem essa manobra de dar nome embolado, bonito como fusão, reorganização, sinergia, que na verdade resultará na dispensa do trabalhador”

Outra informação colocada pelo deputado aos dirigentes sindicais presentes na reunião ampliada de que o governo tem seguido a mesma linha política do governo Bolsonaro de vender o patrimônio paulista e arrolou o ginásio do Ibirapuera, Zoológico, entre outros bens do povo paulista.

Clássicos programas sociais também passaram pelo corte de verbas que trazem impactos negativos para a população de baixa renda e os atingidos pelo desemprego que serão mais penalizados com o corte de 22% no Projeto Viva Leite, na Ação Jovem, na Renda Cidadã que tem papel de respaldar a população mais vulnerável.

A área da moradia foi atingida no contingenciamento de (9,53%) o que significa R$ 695 milhões, a manos para investimentos. Barba destacou que o Programa Minha Casa, Minha Vida sofreu contenção de R$ 194 milhões e os programas de reassentamento habitacional para áreas de risco e favelas R$ 81 milhões. Além desse corte de investimentos o Programa Minha Casa, Minha Vida, o governador Doria mudou a participação do Estado no financiamento, agora ele oferecerá ao mutuário, apenas o valor de R$ 30 mil reais.

Para o líder da Bancada do PT os números apontam que o governo Doria tem feito uma opção por manter dinheiro em caixa em vez de investir na geração de emprego e apoio a população que passa por dificuldades nesse momento de crise economia e baixa oferta de trabalho.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *