PROTEJAM O PADRE JÚLIO LANCELOTTI
PROTEJAM O PADRE JÚLIO LANCELOTTI

As ameaças contra o padre Júlio Lancelotti e seu trabalho não param. Uma campanha foi lançada depois de mais um ataque nesta terça-feira, 15/9. A bancada do PT na Assembleia Legislativa, mas uma vez, se solidariza e pede providências.

É assustador como nos últimos tempos a aniquilação de valores e posturas civilizatórias, de empatia e solidariedade, construídas a duras penas pela sociedade, têm sido banidas por meio de postagens nas redes sociais! Num ambiente sarcástico, que procura fomentar o ódio à pobreza, aos desprovidos, sugere-se a eliminação dos desvalidos.

A carga de crueldade eleva-se à potência máxima com a criminalização, perseguições e ameaças aos que fazem o trabalho de defesa, apoio e assistência aos miseráveis e, em especial, às populações em situação de rua.

O padre Júlio Lancellotti, pároco da igreja São Miguel Arcanjo e coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo, denunciou à polícia nesta terça-feira (15) que voltou a sofrer ameaças verbais após ser atacado em lives feitas por um candidato à prefeitura de São Paulo.

Os últimos ataques ao religioso aconteceram após mais uma ação da Guarda Civil Metropolitana de repressão na região conhecida como cracolândia, no centro da cidade de São Paulo, acompanhada e apoiada pelo candidato.

A bancada estadual do PT apoia a ação do padre Júlio Lancellotti e cobra medidas das autoridades para punir os autores das ameaças, assim como coibir ações que incitam ódio e agressões ao religioso que dedica sua vida à defesa das pessoas em situação de rua e dos vulneráveis.

Na avaliação dos petistas, é fundamental que as autoridades assumam seu papel no estímulo de valores, posturas e práticas de acolhimento, apoio e solidariedade e que façam cessar a violência institucional nos despejos em acontecem plena pandemia e só fazem aumentar o número de pessoas morando nas ruas.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *