PT 40 ANOS NA ALESP
PT 40 ANOS NA ALESP

DEPUTADOS ESTADUAIS E PT-SP COMEMORAM OS 40 ANOS DO PARTIDO DOS TRABALHADORES

A comemoração dos 40 anos do PT na Assembleia Legislativa, nesta sexta-feira, 13/3, reuniu parlamentares, dirigentes e militantes dos movimentos social e sindical e enfatizou o compromisso, cada vez mais profundo, do PT com a democracia, a força de sua militância e a luta das mulheres.

“Nossa jovem democracia foi golpeada em 2016, mas não fomos destruídos”, disse o deputado Teonilio Barba, líder do PT na Alesp, lembrando a oposição e resistência do partido ao desgoverno federal e da bancada às propostas do governo Doria de destruição do Estado e de eliminação de direitos dos trabalhadores. A batalha da oposição contra a reforma da previdência em São Paulo é o exemplo mais recente.

Na atuação e na resistência da bancada, disse o líder, os movimentos sociais são fundamentais, e continuarão sendo, todos eles – os movimentos de moradia, de educação, de saúde, de mulheres, LGBT, contra o racismo –, a base dos mandatos petistas. “Neste mês de março, ao comemorar o aniversário do nosso partido, queremos principalmente saudar todas as mulheres que lutam contra a opressão, contra o machismo, contra o racismo, no Brasil e em todo o planeta”, completou Barba.

Mulheres
E a sessão solene em comemoração aos 40 anos do PT foi presidida por uma mulher, a deputada Professora Bebel, que teve importante atuação na resistência à aprovação do projeto de reforma da previdência de Doria. A secretaria de Mulheres do PT-SP e o Núcleo de Mulheres do PT na Alesp tiveram também participação ativa na organização do ato comemorativo, homenageando as deputadas já eleitas pelo PT no Estado de São Paulo. Uma das mulheres protagonistas da atuação petista na Assembleia Legislativa foi Maria Lúcia Prandi, deputada por quatro mandatos, além de ter sido vereadora e secretária de Educação, em Santos. A homenagem do partido à deputada falecida em 2015 foi recebida hoje por seu sobrinho, Francisco.

 

Crescimento do PT
A direção nacional do PT foi representada por Gilmar Tatto, que trouxe o abraço da presidenta Gleisi Hoffmann e uma mensagem de esperança na unificação das lutas populares e aliança dos partidos de esquerda para enfrentar o retrocesso e voltar a mudar o Brasil e São Paulo. No mesmo sentido, as eleições de 2020 poderão marcar a retomada do crescimento do PT, na disputa de prefeituras e de vagas nas câmaras municipais, previu o presidente estadual do partido, Luiz Marinho. Ele agradeceu à guerreira bancada de deputadas e deputados, aos coordenadores das macrorregiões, das secretarias e setoriais do partido e conclamou os militantes ao engajamento nos processo de formação de comissão provisória, nos municípios em que não estamos organizados, no processo das eleições extraordinárias de direções municipais e nas eleições de 2020.
O orgulho de pertencer ao PT e a disposição para a organização e luta marcaram as mensagens dos deputados presentes. Beth Sahão, deputada pré-candidata à prefeitura de Catanduva, falou as dificuldades da construção do partido no interior do Estado, mas reafirmou sua disposição de lutar sempre.

 

Movimentos
“O PT não nasceu em cartório eleitoral, mas é fruto da luta dos movimentos”, disse o deputado Dr. Jorge do Carmo. E isso faz a diferença na forma de atuar dos militantes, parlamentares e governos petistas.
De fato, as políticas públicas feitas nos governos do PT, de Lula e Dilma, foram lembradas por militantes dos movimentos. Para Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP (Central de Movimentos Populares), esse legado garante a estreita relação dos movimentos sociais com o Partido dos Trabalhadores. Também Douglas Izzo, presidente da CUT-SP, falou do orgulho de ter no PT a certeza de representação dos trabalhadores: “nenhuma das reformas contra os trabalhadores foi aprovada com votos do PT”. Para Adriana, do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), o caminho dos movimentos é se vincular com aqueles que também estão em luta. Ela agradeceu à bancada do PT por manterem abertas as portas da Assembleia paulista aos movimentos populares.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Warning: chmod() has been disabled for security reasons in /home/ptalesp2019/public_html/wp-content/plugins/wordfence/vendor/wordfence/wf-waf/src/lib/storage/file.php on line 47