Quarta (13) com mobilização contra o PLC 26. Terça (19) tem mais!

Após o retorno do feriado nacional de 12 de outubro, a luta contra o PLC 26 continuou na Alesp. A deputada professora Bebel, líder da bancada petista deu prosseguimento às mobilizações que já vem organizando semanalmente, na Assembleia Legislativa, desde que o projeto entrou em tramitação de urgência.

Como é de costume, para seguir os protocolos de segurança contra a COVID-19, a parlamentar realizou um discurso ao ar livre e depois, uma caminhada simbólica em torno da quadra da Casa Parlamentar.

Veja a caminhada aqui: https://web.facebook.com/PTalespOficial/videos/409266700757202/?_

Em sua fala, Bebel destacou novamente todos os pontos absurdos do Projeto de Lei Complementar 26 e fez duras duras críticas à extensão da bonificação por resultados a todas as secretarias baseada em produtividade e a revogação da falta abonada. Lembrou também que a proposta, se aprovada, revoga o pagamento do adicional de insalubridade durante a licença-prêmio. A votação do projeto que estava prevista para acontecer ainda na quarta (13), foi adiada.

Durante o discurso, a líder falou sobre o retorno obrigatório das aulas presenciais em escolas públicas e privadas, e aproveitou para pedir que todos os professores e funcionários da educação continuem denunciando mais essa irresponsabilidade do governador João Doria. “Temos de lutar para que possamos chegar até o final do ano sem essa obrigatoriedade, pois a pandemia ainda não acabou.” declarou Bebel

O discurso pode ser assistido aqui: https://web.facebook.com/PTalespOficial/videos/212040337553600/?

Abaixo, aproveitamos para destacar os principais pontos do projeto que o tornam completamente inviável para os servidores. Por essas razões, a deputada professora Bebel  convocou novo ato, para terça, 19 de outubro, na porta da Alesp, a partir das 17h


Motivos para ser contra o PLC 26

1) estende a bonificação por resultados a todas as secretarias baseada em produtividade;
2) disciplina a contratação de temporários;
3) retira a correção anual pelo IPC do adicional de insalubridade;
4) revoga a falta abonada;
5) revoga o pagamento do adicional de insalubridade durante a licença-prêmio;
6) estabelece critérios muito rígidos para a concessão do abono de permanência, que ficará condicionado ao pagamento por 12 meses;
7) revoga o pagamento da licença Premio na aposentadoria e falecimento.

Acesse a íntegra do Projeto aqui: https://www.al.sp.gov.br/propositura/?id=1000378898

Imagens da deputada professora Bebel durante o ato contra o PLC 26, nesta terça (13/10), no encontro durante a caminhada com professores e em cima do caminhão durante discurso. 

 

Leia também

PT segue na defesa dos trabalhadores e dos serviços públicos

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *