Cena Política – QUARTA, 29 de maio de 2019

Texto: Marisilda Silva, Rosário Mendez/Imprensa PTAlesp 

Fotos: Katia Passos/ImprensaPTAlesp 

 

SABESP DESPEJA ESGOTO NA BILLINGS

O bombeamento de águas poluídas do Rio Tietê na Represa Billings foi denúncia apresentada pelo deputado petista Luiz Fernando ao secretário Marcos Penido, recebido nesta quarta-feira na reunião conjunta da Comissão de Meio Ambiente e e de Infraestrutura.  O deputado afirmou que dispõe de provas desse crime ambiental.  Minimizando a irregularidade, o secretário respondeu que, com as chuvas acima da média, o bombeamento do Tietê para a Billings é o recurso usado para evitar enchentes. Quanto à falta de assistência aos moradores do Jardim Pantanal atingidos pelas enchentes, que deveriam receber bolsa aluguel, o secretário soltou outra agressão à população mais pobre: “essas bolsas, temos de avaliar com cuidado, temos de evitar espertalhões e não permitir a indústria de invasões”.
“Recentemente, a população do ABCD, em especial de São Bernardo do Campo e Santo André, receberam da Sabesp água turva e com mau cheiro”, cobrou Luiz Fernando, que criticou a postura da Sabesp de oferecer descontos na cobrança de tarifa apenas aos consumidores que apresentaram queixa. “A Sabesp sabe quem recebeu esta água inapropriada para consumo, então,  por que a Sabesp faz essa exigência?”, indagou. Segundo Penido, os acionistas da Sabesp farão pressão sobre o governo, o que deixa claro que a prioridade é garantir o lucro dos acionistas em detrimento da saúde da população.

 

FERRAZ DE VASCONCELOS AGUARDA PISCINÃO
A construção do polder, nome dado ao um mini piscinão para combater as frequentes enchentes que atingem moradores de Ferraz de Vasconcelos, fez parte das cobranças apresentadas pelo deputado Dr. Jorge do Carmo ao secretário de Meio Ambiente. Segundo Penido, a obra está no cronograma da Sabesp, que tem como meta realizar a obra antes do período de chuvas.

 

SEM CORPORATIVISMOS

Na reunião do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, o deputado Emídio de Souza, representante da bancada do PT, aceitou, ao lado da deputada Erica Malunguinho, do PSOL, que fossem admitidas todas as sete denúncias e representações já apresentadas ao Conselho.  Desta maneira, o PT afirma, na Alesp, seu caráter de luta contra injustiças e corporativismos. A presidência do Conselho tem o prazo de sete dias para definir um relator para as denúncias e representações e, depois disso, uma nova data de reunião será divulgada. 

 

INSEGURANÇA PÚBLICA CONTINUA

João Camilo Campos, secretário de segurança pública do Estado de SP esteve na comissão permanente da Alesp que trata das questões da pasta. O convite acontece por força de lei, que prevê a presença de secretários de Estado em comissões afins, para a prestação de contas de sua gestão. Na semana passada, a deputada Beth Sahão, que também é presidente da Comissão de Direitos Humanos, pediu a convocação do secretário de Segurança Pública para esclarecimentos sobre o aumento do feminicídio e sobre o assassinato de uma jovem , a tiros, na Cracolândia, durante uma operação policial. Em vista da já agendada presença de João Camilo na Comissão de Segurança Pública nesta quarta (29), os membros da Comissão de Direitos Humanos decidiram aproveitar a oportunidade e apresentar suas indagações ao secretário na data de hoje. Questionamentos foram feitos. Faltaram as respostas. Assista: http://bit.ly/BethPergunta

 

O QUE PENSA O SECRETÁRIO DE TRANSPORTES?

Requerimentos de quatro deputados pedem a presença do secretário de Transportes na Comissão de Assuntos Metropolitanos e Municipais. O deputado Barba, por exemplo, quer ouvir o secretário sobre a Linha 18-Bronze do Metrô. E o deputado Dr. Jorge do Carmo quer debater com o representante do Executivo a Linha 15-Prata do Metrô. Porém, deputados da situação vêm impedido que a votação dos requerimentos aconteçam. Nesta quarta-feira, 29/5, o petista Luiz Fernando apelou para os parlamentares da situação que insistem em blindar o governo Doria.  “Não temos ainda embates a fazer, portanto, estamos apenas querendo saber o que está pensando o secretário dos Transportes sobre questões tão importantes para a população paulista”, explicou.

 

CORTES NO ORÇAMENTO DO ESTADO

O deputado Paulo Fiorilo usou seu tempo na reunião da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento de hoje para tratar de alguns aspectos da situação financeira do Estado de SP, já que o visitante, o secretário da Fazenda Henrique Meireles, afora um conjunto de dados que apresentou, ocupou-se prioritariamente de assuntos da economia nacional. Fiorilo pediu esclarecimentos sobre o corte de R$ 5,9 milhões do Orçamento do Estado e sobre a falta de transparência na concessão de desonerações a empresas privadas. O petista lembrou que este último questionamento já foi feito pelo Tribunal de Contas.

 

REFORMA NA PREVIDÊNCIA ESTADUAL

Enio Tatto também quis saber o que pensa o ex-ministro sobre o tema da reforma da Previdência. Meireles repetiu que espera ver aprovada no Congresso Nacional uma reforma que inclua os estados. Em caso contrário, disse, “São Paulo já tem estudos e projetos uma reforma da previdência estadual mais profunda”.

 

A QUEM INTERESSA A CONCESSÃO DO INSTITUTO DE BOTÂNICA

Manifestações durante audiência pública realizada na Alesp levaram por terra a afirmação do secretário de Doria, Marcos Penido, de que o PL 183/2019 é do interesse do Estado, da sociedade e do Instituto de Botânica. O projeto do governador pretende conceder à iniciativa privada a exploração do Zoológico de São Paulo, do Zoo Safári e do Jardim Botânico. “Secretário, a importância do Instituto de Botânica e do Jardim Botânico não se mede pelo número de visitantes, mas pela sua importância como núcleo de excelência que influencia publicações científicas, formação de pessoal qualificado em botânica e biodiversidade”, argumentou a deputada Márcia Lia. Representante dos pesquisadores do instituto também questionaram as alegações do secretário, afirmando que ele desconhece o trabalho que realizam. “Não somos apenas um parque, estamos lá para proteger um patrimônio do Estado”. No mesmo sentido falaram representantes dos moradores da região onde se situa o patrimônio do povo paulista, que o governador quer privatizar.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *