CENA POLÍTICA – QUARTA, 22 DE MAIO DE 2019

SEM DIÁLOGO

As dificuldades enfrentadas por deputados para ser atendidos pelos secretários de Estado e agentes da gestão Doria suscitou intenso debate na Comissão de Transportes e Comunicação.  A cobrança de soluções para essas dificuldades feita do deputado Luiz Fernando motivou a manifestação de outros parlamentares. “O problema é recorrente e já foi mencionado por diversos líderes partidários, no colégio de líderes”, destacou Teonílio Barba“. O líder da bancada do PT informou que o colegiado decidiu aguardar por mais 30 dias.  Decorrido esse prazo os secretários e agentes que insistirem em não agendar as audiências solicitadas serão convocados a comparecer ao Poder Legislativo.

CÁRCERES EM NEGÓCIOS

A escalada de privatizações do governo Doria chegou às penitenciárias do Estado num ritmo acelerado e sem diálogo, o que tem unificado as críticas das diferentes agremiações políticas que compõem a Assembleia Legislativa. São Paulo tem o maior contingente carcerário do país com 280 mil reclusos. O sistema vive a perspectiva ascendente, em razão da falta de política preventiva à criminalidade, adoção de penas alternativas entre outras medidas socioeducativas e ressocializantes.  A mercantilização do sistema foi criticada por vários integrantes da Comissão de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários, na terça-feira, 22/5. O deputado Luiz Fernando,  membro da comissão, desafiou e lisura do processo de concessão, que classificou como jogo de cartas marcadas.

POLÍTICA PARA REDUÇÃO DO USO DO PLÁSTICO

Proposta da deputada Márcia Lia foi aprovada hoje, 22/5, na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, a criação de uma política de Estado para a redução do uso de plástico. “Muitos projetos tramitam na Alesp sobre uso de embalagens de plástico, sacolas, canudos, o melhor caminho é consolidar uma política geral”, considerou a deputada.

ASPECTOS FORMAIS

Discutindo uma pauta com 50 itens, a Comissão de Constituição, Justiça e Redação pouco avançou nesta quarta-feira, 22/5. Aspectos formais dos projetos apresentados pelos deputados são constantemente apontados em pareceres, justificando emendas que podem alterar o objetivo inicial das proposituras. O petista Emidio de Souza, corroborando a necessidade de estabelecer critérios para o trabalho da comissão, propôs que a próxima reunião da CCJR não tenha projetos em sua pauta para que possa debater esses critérios.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *