CENA POLÍTICA – QUINTA-FEIRA, DIA 25 DE ABRIL DE 2019
CENA POLÍTICA – QUINTA-FEIRA, DIA 25 DE ABRIL DE 2019

*A TRAGÉDIA DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA*

A Frente Parlamentar em Defesa das Aposentadorias, coordenada pela deputada *Beth Sahão*, promoveu nesta quinta-feira, 25/4, audiência pública para debater a Reforma da Previdência. Sindicalistas, lideranças de movimentos sociais e acadêmicos mostraram os efeitos trágicos da proposta do governo de extrema-direita de Jair Bolsonaro. Beth Sahão salientou, especialmente, os efeitos perversos para as mulheres e para trabalhadores rurais, que serão mais penalizados ainda. O Benefício de Prestação Continuada (BPC), que não é grande maravilha, dá às famílias o mínimo para sobreviver. Eles querem mexer nisso, mas não querem tocar nos militares, que terão suas aposentadorias preservadas. Já os bancos deverão ganhar muito dinheiro com a capitalização.”

http://bit.do/eQDLs

 

*HERANÇA ESCRAVOCRATA*

O líder do PT na Alesp, *Teonílio Barba*, reagiu aos ataques do deputado Frederico D’Ávila (PSL) contra a Ouvidoria da Polícia. O representante do agronegócio pretende extinguir o órgão e apresentou projeto com essa finalidade. Barba disse ao herdeiro da aristocracia escravocrata: “Eu respeito deputados da direita que não sejam fascistas. O deputado Frederico D’Ávila fez um manifestação fascista e ataques a pessoas que compõem o conselho da Ouvidoria. A tarefa da Ouvidoria é combater a alta letalidade das ações da Polícia. O estado democrático de direito deve garantir instrumentos de controle social sobre as instituições e de garantia da democracia.”

 

*MOLECAGEM*

*Luiz Fernando Teixeira* disse que a Assembleia não vai aceitar as molecagens e as fake news do deputado Douglas Garcia (PSL). Luiz Fernando acusou de infantis e antiéticas as afirmações do deputado do PSL sobre projeto de lei que pretende coibir a destruição do que resta de mata atlântica no Estado de São Paulo. Garcia disse à imprensa que o projeto do PT quer destruir Cubatão. “Isso é molecagem. Depois, Garcia corre para chamar a mamãe Janaina para salvá-lo.”

 

*NÃO AO SERVILISMO*

Paulo Fiorilo mostrou na tribuna que o governo estadual arrecadou no primeiro trimestre de 2019 R$ 44,9 bilhões, resultado 6% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior. Os números atropelam os argumentos de João Doria para justificar seu projeto de lei que pretende privatizar, fundir e extinguir empresas públicas paulistas. A decisão está nas mãos dos deputados. “Não podemos deixar que o Parlamento se dobre a essa lógica servil”, advertiu Fiorilo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *