Cena Política – Terça-feira, 26 de novembro

SERVIDORES CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Entidades dos servidores públicos estaduais fizeram ato em frente à Assembleia Legislativa para repudiar o projeto de Reforma da Previdência Estadual encaminhado pelo governador João Doria, que, entre outras coisas, pretende elevar a idade mínima e a alíquota de contribuição previdenciária dos trabalhadores de 11% para 14%. Antes do ato, a presidente da Apeoesp e deputada estadual, Professora Bebel, coordenou assembleia da categoria dos professores, que decidiram fazer greve com paralisações todas as terças-feiras para que possam acompanhar a tramitação da reforma e pressionar os parlamentares a rejeitarem os projetos do governador.

O REIZINHO

O líder do PT, Teonilio Barba, comentou a notícia de que o governador João Doria está negociando a liberação de R$ 3 milhões a R$ 5 milhões para emendas de cada deputado que apoiar o projeto da Reforma da Previdência do Estado. Barba cobrou posicionamento claro dos parlamentares que compõem a bancada da Segurança Pública. “Não sei quais deles são contra ou a favor da proposta. Precisamos de 40 votos para derrubar o projeto.” Disse também que o presidente da Assembleia, Cauê Macris, tem agido como reizinho. “Ele vai indicar um relator especial para o projeto da reforma, mesmo tendo se comprometido com as bancadas a não mais utilizar esse dispositivo.” A bancada do PT, diz o líder, vai publicar nota na imprensa para expressar sua posição contra a reforma e apresentar quais são os deputados estaduais que também são contrários e os que são a favor desse mais um ataque contra os trabalhadores do Estado de São Paulo.

 

MAIS UM GOLPE NA DEMOCRACIA

Logo após a fala do líder do PT, chegou a notícia de que o presidente da Alesp, Cauê Macris, já havia indicado um relator especial para o PLC 80/2019, que trata das aposentadorias e pensões do Regime Próprio de Previdência dos Servidores Públicos. O designado para produzir o parecer favorável na Comissão de Constituição e Justiça foi o deputado Gilmaci Santos (Republicanos), que em tempo relâmpago rejeitou todas as 151 emendas ao projeto apresentadas pelos parlamentares. As deputadas Professora Bebel e Beth Sahão mostraram sua indignação com a atitude autoritária de Macris, que quer a qualquer custo aprovar a reforma de Doria a toque de caixa.

 

DENGUE SEM CONTROLE

A Comissão de Saúde ouviu nesta terça-feira, 26/11, o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann; o presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (COSEMS/SP), Eduardo Fogolin Passos; Maria do Carmo Timenetsky, representantes do Instituto Adolfo Lutz; e o médico infectologista Marcos Boulos, da Superintendência do Controle de Endemias do Estado de São Paulo; sobre projetos de prevenção contra a dengue em 2020. O número de casos de dengue no Estado neste ano já é dez vezes maior do que no ano anterior. Segundo Boulos, 256 pessoas já morreram por causa da doença. Em 2018, foram apenas oito mortos. Para Eduardo Fogolin Passos, o atual modelo de combate ao vetor da dengue não tem sido suficiente para minorar o quadro epidemiológico. Os municípios, diz ele, têm sido sobrecarregados no enfrentamento à doença, sem contar com o apoio financeiro do Estado e da União. Ele defendeu a instituição de um plano estadual de controle das arboviroses, com fundo específico e piso fixo para todos os municípios.

 

APROVADO REAJUSTE DE 5% PARA POLICIAIS

O plenário da Assembleia aprovou nesta terça-feira o PLC 79/2019, que trata do reajuste salarial de 5% para as polícias do Estado de São Paulo. O reajuste concedido por João Doria gerou descontentamento e protestos nas corporações policiais do Estado, pois o índice não repõe sequer a inflação acumulada desde o último reajuste dado há 18 meses pelo governo às três categorias da segurança pública, que chega a 6,3%.

 

BARRACO DO PSL PEGA FOGO 

O PT e alguns parlamentares que representam os policiais rejeitaram o projeto do governador e defenderam emendas que elevavam o índice do aumento dos policiais. Mas houve racha em algumas bancadas, como a do PSL, cujo barraco esquentou com o fogo cruzado entre o líder Gil Diniz e a deputada Janaína Paschoal, que não resistiu aos argumentos sedutores de Doria e votou com a bancada governista.

PRÊMIO SANTO DIAS
#AoVivo
A deputada Beth Sahão faz um balanço sobre a Comissão de Direitos Humanos na ALESP que debate a realização do prêmio Santo Dias de DH

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *